Grupo de Jovens JAC

Grupo de Jovens JAC

Comunidade Nossa Senhora do Rosário

Paróquia Santuário Sagrado Coração de Jesus

Joinville – SC

Hacker diz ter desbloqueado PlayStation3

Um hacker americano, famoso por quebrar o código do aparelho de telefone celular iPhone, da Apple, ainda adolescente, disse à BBC que teria hackeado o PlayStation 3 da Sony.

George Hotz disse que ainda trabalha para aprimorar a técnica mas que irá divulgar os resultados em breve na internet. Seu ataque permite usar jogos piratas ou softwares caseiros no PS3, considerado o único jogo de consoles que ainda não havia sido hackeado com sucesso, apesar de estar no mercado há três anos.

“Ele é supostamente impossível de se hackear, mas nada é impossível de se hackear”, disse Hotz.

Curiosidade
O americano afirma que levou cinco semanas para quebrar o código do PS3. Ele diz ter começado a estudar o sistema durante três semanas em meados do ano passado. Outras duas semanas no final do ano foram usadas para completar o ataque.

Hotz diz que hackeou o PS3 usando 5% de hardware e 95% de software. “Você pode usar o hardware para injetar alguma insegurança no sistema e depois explorá-la”, afirma.

Ele diz ter sido motivado por curiosidade já que “honestamente, nunca joguei PS3”.

Um porta-voz da Sony disse que a empresa investiga a alegação e que ela irá se pronunciar uma vez que tiver mais informações.

Hotz tornou-se famoso em 2007, quando estava com 17 anos, ao abrir o código do iPhone, permitindo que o telefone pudesse ser usado por qualquer operadora e não apenas pela americana AT&T nos EUA.

Ele tem publicado desde então detalhes de outros hacks.

Fonte: http://www.terra.com.br

Será que o cara é inteligente?

Entenda o que muda com a chegada das TVs com imagem 3D

O sucesso de Avatar nos cinemas abriu as portas para o entretenimento em três dimensões. Agora, as maiores fabricantes de aparelhos de TV – entre elas Sony, Panasonic, LG e Samsung – prometem lançar nos EUA, até o final de 2010, televisores capazes de exibir imagens em 3D.

Eles utilizam uma tecnologia diferente da popularizada pelos óculos com lentes coloridas, em azul e vermelho. Quem quiser aproveitar, portanto, terá que comprar um novo aparelho, além de óculos especiais.

Terei que comprar uma TV nova? Quanto vai custar?

Para ver a programação em 3D transmitida pelos canais, ver filmes em Blu-Ray ou mesmo jogar videogame na nova tecnologia oferecida pelo PlayStation 3, será, sim, necessário comprar uma nova televisão.

É que toda imagem 3D utiliza uma técnica para “enganar” o cérebro e fazer com que percebamos profundidade em imagens bidimensionais exibidas na tela. E os aparelhos que chegam ao mercado no segundo semestre de 2010 utilizam uma técnica nova, com equipamentos que não funcionam com as televisões atuais.

 Somos capazes de enxergar o mundo em 3D porque, basicamente, temos dois olhos. Como eles estão a alguns centímetros de distância um do outro, nosso cérebro capta as imagens projetadas nas retinas e “funde” em uma imagem única, com a sensação de três dimensões.

 Os filmes e fotografias em 3D se aproveitam dessa capacidade do cérebro, com óculos capazes de filtrar parte da imagem bidimensional, de forma que cada olho perceba uma imagem diferente. É assim com as lentes tradicionais, aquelas de celofane azul e vermelho, e com os que usamos nos cinemas – com lentes polarizadoras, que deixam passar ondas luminosas específicas para cada olho.

 As novas TVs 3D usam um óculos mais moderno, com lentes de cristal líquido. O aparelho passa a exibir 120 quadros diferentes por segundo: 60 para serem vistos pelo olho esquerdo, e 60 para o olho direito. O óculos eletrônico “percebe” o ritmo de exibição da TV, e bloqueia, alternadamente, a visão de cada um dos olhos. Tudo isso acontece muito rápido, de maneira que, na prática, esse “pisca-pisca” é imperceptível. Já no cérebro, a imagem é naturalmente “remontada”, e você enxerga a imagem em 3D.

 Para ter acesso a essa tecnologia, portanto, será necessário comprar um aparelho de TV capaz de “conversar” com os óculos de cristal líquido. A boa notícia é que, segundo os fabricantes, esses aparelhos não devem custar muito mais do que o preço médio de uma boa TV de alta definição vendida atualmente.

Mas não existem TVs em 3D que não precisam de óculos? 
Sim, existem. A Philips chegou a colocar no mercado um modelo, que utilizava tecnologia de lentes especiais colocadas sobre a tela, que dispensava o uso de óculos. O resultado, porém, não era tão nítido quanto ao apresentado nos aparelhos que necessitam de óculos. Além disso, era necessário ficar em uma posição específica em relação á tela para ver a imagem em 3D.

Problemas de visão atrapalham para ver TV em 3D?

Podem atrapalhar, sim. De acordo com um estudo publicado por médicos no Reino Unido, entre 7 e 10% das pessoas simplesmente não conseguem perceber a imagem em 3D. Lembre-se: a imagem tridimensional é um “truque” aplicado em nosso cérebro, utilizando diferenças na imagem vista em cada um dos olhos. Quem não enxerga de um olho, por exemplo, não terá como ver a imagem 3D.

 Outro problema pode surgir para quem precisa usar óculos de grau para ver TV. Se essa pessoa não conseguir colocar o equipamento para ver 3D por cima dos óculos normais, provavelmente terá de enfrentar desconfortos de visão durante o entretenimento.

 Já tenho antena e receptor de TV digital. Precisarei comprar tudo novo?
Não, a TV 3D será transmitida pela mesma tecnologia de TV digital utilizada atualmente. Só será necessário trocar o televisor. A imagem codificada em 3D será transmitida simultaneamente à imagem tradicional, em duas dimensões.

Fonte: http://www.g1.com.br

Interessante, mas deve ser meio chato ficar usando aquele óculos.

Acampamento nerd começa nesta segunda em SP com o mesmo tamanho do ano passado

A terceira edição da Campus Party – evento de tecnologia que começa nesta segunda-feira (25) e vai até o próximo domingo (31) em São Paulo – tem investimento e estrutura praticamente idênticos ao ano passado.

Mais de 50 empresas, além dos governos municipal, estadual e federal, bancaram os R$ 7,5 milhões gastos com a Campus Party, R$ 100 mil a menos que em 2009.  A organização decidiu reservar a mesma quantidade de vagas (6.000) para os participantes, que podem aproveitar todas as atividades apenas como visitante ou acampando no Centro de Exposições Imigrantes, onde acontece o evento.

A Telefônica permanece como principal patrocinador e vai oferecer a mesma infraestrutura para acesso à internet. Os campuseiros terão direito a levar o seu computador (de mesa ou móvel) e usar a rede em banda larga com a velocidade máxima de 10 gigabits por segundo (10GB). Os diretores da feira dizem que os casos de furto a equipamentos levados pelos visitantes ocorridos na edição anterior foram isolados, mas a empresa que fazia a segurança da feira foi substituída.

A programação é dividida em quatro grandes categorias: ciência, criatividade, entretenimento digital e inovação. Haverá atividades sobre robótica, música, vídeo, blogs, games, desenvolvimento de programas e sites, entre outros.

Um dos palestrantes é o americano Kevin Mitnick, que foi preso na década de 90 por invadir o sistema de várias empresas de tecnologia. Hoje, ele é executivo em uma companhia de segurança.

A lista de convidados conta ainda com Larry Lessig, um dos fundadores do sistema Creative Commons, que defende a cópia e compartilhamento na rede das produções autorais como textos, fotos, desenhos, áudio e vídeo.

O brasileiro Marco Figueiredo, pesquisador da Nasa (agência espacial americana), falará com o público sobre exploração espacial e luta pelo conhecimento em rede.

As vagas se esgotaram na sexta-feira (22). Os inscritos pagaram R$ 140 para ter acesso a todas as atividades. Quem optou acampar no evento pagou uma taxa adicional de R$ 15. O pacote que inclui refeições diárias saiu por R$ 165. Há ainda espaço para higiene pessoal e chuveiros em maior quantidade que em 2009, segundo a empresa que organizadora.

Nesta terça-feira (26) será aberta ao público a área grátis da Campus Party, em que é possível usar “brinquedos tecnológicos” como o Robot Probo, uma bichinho imaginário capaz de entender gestos e expressões faciais, ou o HeadBang Hero, game que premia quem “chacoalha melhor a cabeça”. Essa área grátis funciona das 10h às 21h entre os dias 26 e 30 de janeiro e das 10h às 17h no dia 31.

Fonte: http://www.r7.com.br

Eu queria participar de um evento desses, quem não queria.

Lentes de contato bizarras

O americano Kevin Carter, especialista em efeitos especiais, criou lentes de contato bizarras para filmes de Hollywood. Algumas de suas criações começam agora a ser disponibilizada para pessoas comuns. Nos EUA, cada par de lentes chega a custar US$ 800.

Fonte: http://www.coisas-bizarras.com

Assustador.

Microsoft lançará reparo para Explorer após ataque ao Google

A Microsoft anunciou que irá lançar um reparo para uma falha em uma versão antiga de seu navegador Internet Explorer que permitiu o recente ataque contra a rede do Google na China.

O reparo, que deve sair nesta quinta-feira, “lida com a falha relativa ao recente ataque contra o Google e um pequeno grupo de empresas”, segundo o diretor de programas de segurança da Microsoft, Jerry Bryant. Depois de instalado, “consumidores estarão protegidos contra os ataques conhecidos, que foram amplamente divulgados”.

O Google disse na semana passada que foi alvo de sofisticados ataques na China, junto com mais de 20 outras companhias. A Microsoft reconheceu que os hackers teriam se aproveitado de uma falha no navegador Internet Explorer 6 para montar os ataques.

A Microsoft afirmou que continua vendo a ocorrência de alguns ataques, mas os únicos que ocorrem com sucesso são contra a versão 6 do Internet Explorer. A mais recente versão do software é o Internet Explorer 8.

Fonte: http://www.terra.com.br 

A Microsoft fez um reparo tão rápido, curioso.

Bicicleta elétrica ‘dobrável’ é alternativa para combater poluição

‘Yike Bike’ funciona com bateria e anda mais de 9 quilômetros.
Veículo pesa 9,8 kg e viaja a quase 20 km/h.

Para ajudar no combate ao excesso de trânsito nas grandes cidades e para trazer uma alternativa contra a poluição, pesquisadores da Nova Zelândia desenvolveram a Yike Bike. O veículo elétrico feito de um composto de carbono funciona com bateria de lítio e pode andar até 9 quilômetros antes de ser recarregada, que leva cerca de 30 minutos.

A ‘Yike Bike’, criada pela empresa de mesmo nome, pesa aproximadamente 9,8 kg e pode andar a uma velocidade máxima de 20 km/h. O veículo dobrável custará quase US$ 6 mil quando for lançado. Por enquanto, a empresa apenas aceita encomendas on-line do produto.

Fonte: http://www.g1.com.br

Não tem mais nada que inventar mesmo. Mas tem que ter muito dinheiro pra gastar US$ 6 mil em uma bicicleta.